2 de novembro de 2014

Resenha #34 - Espíritos de Gelo

Autor: Raphael Draccon
Páginas: 176
Editora: Leya

Sinopse: Um homem acorda acorrentado com os braços para cima em uma sala escura, com dois torturadores vestidos com detalhes masoquistas ao lado e um interrogador baixinho, vestido com roupas sociais e uma camisa surrada do Black Sabbath. Eles o informam que ele acordou em uma banheira sem um rim e sofreu um choque amnésico, que o impede de lembrar os detalhes. Assim sendo, eles partem do princípio de que outros choques traumáticos podem desbloquear essas memórias, se necessários. E se iniciam as piores partes. O livro faz referências à lenda urbana da banheira de gelo, às lendas ao redor da história do rock’n roll e até às motivações e psicologia ao redor da criação de lendas urbanas.

Conheci o Raphael Draccon através da trilogia Dragões de Éter e o adorei! Mas lendo esse livro é que pude ver o quão bom escritor ele é. Esqueça Dragões de Éter (se você já os leu), aqui você vai encontrar uma história totalmente diferente, com um novo modo de narrativa, cheio de palavrões e dor, muita dor, ou seja, totalmente diferente!
 "- Carrascos? - eu perguntei talvez por supresa, talvez por sarcasmo. - A mim mais parecem dominadores de um clube de Sadomasô em que você deve ser hostess." P. 12;

O personagem principal acorda acorrentado em uma sala. Lá encontram-se um baixinho desfigurado, que mais parece um criatura em vez de um humano (o interrogador), e dois homens em roupas de couro justas que, se as respostas fossem incorretas, torturariam o pobre. Eles querem saber ao certo o que aconteceu nas últimas horas e como o nosso cara foi parar dentro de uma banheira de gelo sem um rim.
"Era a mesma ponte; a mesma ponte por onde o meu pai me levava todos os dias para a escola, antes do trabalho. A mesma ponte que me ligava a uma vida que eu antes achava completa e na qual, de repente, não encontrava mais motivação." P. 45;

Como as memórias estão bloqueadas, ele começa a contar sua história desde a infância. De como a mãe o abandonou com o pai, em que este trabalhava, como ele morreu e o deixou sozinho no mundo. Conta como achou a mulher de sua vida e assim por diante até chegar nos acontecimentos das últimas horas.
"Eu vi o chão começar a receber gotas. Vermelhas." P. 106;

Entre revelações, torturas e um pouco de amor vamos conhecendo a vida do nosso sarcástico personagem principal; o qual nunca nos é revelado o nome. O final é realmente surpreendente! Jamais havia imaginado um desfecho com algo assim.
"- Pega o eletrochoque..." P. 140.

A minha edição é essa da foto, a de capa preta e letras vermelhas, o que achei que casou super bem com o clima do livro. Suas páginas são amarelas, com letras e espaçamento bons para a leitura. Os capítulos são curtos, o que faz com que a leitura flua com rapidez. Não encontrei nenhum erro de revisão, mas pode ter sido pelo tanto que mergulhei nas páginas. Super indicado e leva cinco estrelinhas.

8 comentários:

  1. Oi Gi :)
    Conheci o Raphael pessoalmente na Bienal do Livro - Ba, mas nunca me interessei em ler os livros dele. meu noivo já leu todos (com exceção do livro novo) e ele gosta da escrita do autor.
    Não me lembro bem da opinião dele a respeito de Espíritos de Gelo, mas acho que foi um livro que ele gostou com algumas ressalvas.
    Fico contente em saber que gostou e deu 5 estrelinhas. Quem sabe um dia eu me renda e leia ele?
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Neyla. Ai que invejinha branca. Adoraria ter conhecido o Raphael pessoalmente, mas um dia quem sabe né! Também sou super fã da sua escrita. Acho ele um escritor mais genial a cada livro que leio! <3 Que bom que gostou e super indico a leitura viu. Obrigada pela visita.

      Bjoks da Gica.

      Excluir
  2. Oi Giane, tudo bem?

    Confesso que o Draccon não faz muito o meu estilo literário, por isso nunca li nada dele. Mas já vi muitos elogios aos livros do autor. Parabéns pela resenha

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kel. Tudo ótimo e com você? Estilo literário é uma coisa que se respeita, mas se algum dia você for se aventurar super indico os livros dele viu! :D Que bom que você gostou. Obrigada pela visita.

      Bjoks da Gica.

      Excluir
  3. Olá!!
    Acho que nunca li nada desse tipo, parece ser torturador ler um livro assim né...gosto de livros que nos fazem remexer na cadeira de tanta angústia...rs Ainda mais na parte que ele precisa responder corretamente...rs

    Parabéns pela resenha!!

    Beijos, Bá.
    http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bá. Esse livro não te trás uma angústia, mas sim uma ansiedade para saber logo o que aconteceu de tão importante sabe e quando chega no final e você descobre, o queixo cai, porque você nunca imaginou aquilo! :P :P Sim, as partes que ele sofre tortura são um pouco angustiantes, até por causa das descrições das máquinas de tortura. Simplesmente amei esse livro! <3 Que bom que você gostou. Obrigada pela visita.

      Bjoks da Gica.

      Excluir
  4. Oiii Gi. Uau. Amei esse livro. Credo, devo ter um problema por gostar de livros assim. kkk. Mas como você deu cinco estrelas, acho que compartilhamos essa loucura. kkkk
    Nunca li Dragões acredita? então eu ainda não conheço a escrita do autor. Mas essa sinopse e a resenha já me bastam. Indo agora mesmo, procurar pelo livro =D
    Beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gih. Não tem problemas não Gih, o Raphael é um gênio, ele merece todo amor do mundo em qualquer livro que escreva! :D Tomara que você goste, eu sou loucamente apaixonada por ele e por suas obras! <3

      Bjoks da Gica.

      Excluir