7 de janeiro de 2016

Resenha #72 - A Irmandade Perdida

Olá pessoal, como estão??? Espero que tod@s bem!!! Hoje vim trazer para vocês, como prometido, a resenha de A Irmandade Perdida. Vamos conferir!

Autora: Anne Fortier
Páginas: 528
Editora: Arqueiro

Sinopse: Diana Morgan é professora da renomada Universidade de Oxford. Especialista em mitologia grega, tem verdadeira obsessão pelo assunto desde a infância, quando sua excêntrica avó alegou ser uma amazona – e desapareceu sem deixar vestígios. No mundo acadêmico, a fixação de Diana pelas amazonas é motivo de piada, porém ela acaba recebendo uma oferta irrecusável de uma misteriosa instituição. Financiada pela Fundação Skolsky, a pesquisadora viaja para o norte da África, onde conhece Nick Barrán, um homem enigmático que a guia até um templo recém-encontrado, encoberto há 3 mil anos pela areia do deserto. Com a ajuda de um caderno deixado pela avó, Diana começa a decifrar as estranhas inscrições registradas no templo e logo encontra o nome de Mirina, a primeira rainha amazona. Na Idade do Bronze, ela atravessou o Mediterrâneo em uma tentativa heroica de libertar suas irmãs, sequestradas por piratas gregos. Seguindo os rastros dessas guerreiras, Diana e Nick se lançam em uma jornada em busca da verdade por trás do mito – algo capaz de mudar suas vidas, mas também de despertar a ganância de colecionadores de arte dispostos a tudo para pôr as mãos no lendário Tesouro das Amazonas. Entrelaçando passado e presente e percorrendo Inglaterra, Argélia, Grécia e as ruínas de Troia, A irmandade perdida é uma aventura apaixonante sobre duas mulheres separadas por milênios, mas com uma luta em comum: manter vivas as amazonas e preservar seu legado para a humanidade.

Solicitei esse livro, pela parceria com a Editora Arqueiro, logo que vi a sua sinopse. Fiquei encantada com a possibilidade de ler algo sobre a mitologia grega, ainda mais com foco nas Amazonas. Inicialmente a leitura não me cativou, mas foi só eu vir reclamar disso aqui no blog que fui fisgada como nunca.
Diana é professora na universidade de Oxford, na qual continua suas especializações. É durante a apresentação de uma de suas pesquisas que aparece um senhor misterioso convidando-a a desvendar algo nunca antes visto: um alfabeto escrito pelas amazonas. Essa paixão por esse tema muito se deve a sua avó, que morou um tempo com eles e depois desapareceu feito fumaça, afirmar ter sido uma dessas mulheres. Tudo está ligado à um bracelete que Diana recebeu pelo correio e havia pertencido a sua avó.
Nos primeiros capítulos Diana se mostra volúvel quanto ao amor. Uma hora ama perdidamente James, seu vizinho, em outra está perdida em divagações por um antigo professor de esgrima. Isso me deixou totalmente desapontada com a personagem, pois esperava que ela fosse mais forte, mais decidida e que não ficasse choramingando pelos cantos, afinal ela era uma descendente de amazona... isso deveria estar no sangue dela! Só quando Nick aparece na história é que podemos notar que ela não sabia o que era amor de verdade e nem sabia o que era lutar por uma pessoa com unhas e dentes. Aí sim, vi a personagem decidida, guerreira, capaz de tudo para conseguir chegar aos seus objetivos e salvar os seus.
Permeando os capítulos que contam essa história de perseguição, mistério e muitas descobertas encontra-se a narrativa de Mirina. Uma jovem caçadora que se viu sozinha com a irmã depois que sua mãe sumiu. Lili acaba ficando cega e sua unica esperança é de que a Deusa da Lua as aceite e cure os olhos da irmã de Mirina. No caminho elas encontram muitos percalços, quase morrem de fome e sede no deserto, até que chegam ao mar que por causa da seca virou pântano. Infelizmente, sua chegada só anunciaria mais desafortuno. O templo é atacado por uma legião de gregos e algumas de suas irmãs são raptadas. Apesar de Mirina encontrar-se gravemente ferida está decide ir até o fim do mundo, se for necessário, para encontrar e recuperar cada uma. Elas acabam embarcando numa jornada que passara pelo mito do Minotauro, transformará Mirina em Rainha e culminará na guerra de Troia, último registro das amazonas.
Adorei a escrita de Anne Fortier. Ela descreve seus personagens de uma maneira que dá para sentir o que os mesmos sentem. E os cenários?!?! Gente, parecia que eu estava realmente naqueles locais, no meio daquelas guerras, sendo perseguida, meu coração acelerou um milhão de vezes! Nos últimos capítulos a história foi totalmente amarrada, mas ainda restava uma ponta solta: o Tesouro das Amazonas. Duvidei que a autora pudesse trazer algo a tona que me surpreendesse, mas mais uma vez acabei me enganando totalmente. O tal tesouro não só me surpreendeu totalmente, me deixou de queixo caído e dando pulinhos de emoção!
A capa é maravilhosa e tem tudo a ver com a história, apesar de que as vezes passa outra ideia e não a de que seja algo de mitologia. Acho que o o título entregou muito da história, afinal você já consegue ligar que a tal irmandade perdida são realmente as amazonas. As letras e espaçamento são miúdos, mas isso é compensado pelas páginas totalmente amarelas. Quanto a revisão achei alguns errinhos de digitação, principalmente nos últimos capítulos, mas nada que atrapalhe a leitura. Ao final da leitura só posso dizer que esse livro é maravilhoso e que daria um filme ótimo. Leitura super indicada.


E aí pessoal gostaram??? Ficaram curiosos quanto a leitura??? Não esqueçam de deixar seus comentários. Vou adorar responder a tod@s.

Bjoks da Gica.

2 comentários:

  1. A resenha me surpreendeu, esperava uma coisa e veio outra e mudou totalmente minha opinião sobre "ler ou não ler o livro". Uau! O livro deu uma reviravolta e se transformou em uma aventura empolgante, que legal!!!!! Que bom, porque ir até o fim em uma leitura que frustrar não é um experiencia das mais proveitosas!

    Adorei a resenha Gica! Agora sim acreditei nesse livro, você resgatou ele das trevas do "não leio nem que me pague! Onde já se viu amazonas frouxa?!?!?"

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pandora.

      Que bom que pude surpreender você. :D :D Sim, o livro surpreendeu até a mim. Com todas as reviravoltas e todas as cenas de suspense e fuga que foram guardadas para a metade em diante do livro fiquei de queixo caído e tive que dar o braço a torcer. Amei a leitura e queria muito ver essa história em filme! :D <3 Obrigada pela visita.

      Bjoks da Gica.

      Excluir